Delitimbers - Entrevista

separator

Delimtimbers Lda. foi constituída em 2011 para produção e comercialização de pellets de madeira e resíduos diversos, bem como para a promoção, desenvolvimento e gestão, de forma direta ou indireta, de soluções de engenharia inovadoras nas áreas do ambiente e das energias renováveis, e ainda a exploração de unidades de produção de energia, de bio refinarias e de gestão florestal. É fruto de uma parceria singular entre o Eng.º Silva Gomes e Eng.º Reis Camelo.

 

  1. O Eng.º Silva Gomes e o Eng.º Reis Camelo têm um percurso invejável na indústria. Fale-nos um pouco da vossa experiência.

A equipa de gestão da Delitimbers desenvolveu a sua carreira profissional em indústrias destinadas à produção de pasta e papel. Iniciámos na base da hierarquia, e chegámos ao topo, acrescentando valor ao produto final, em clara obediência aos princípios consagrados no conceito de desenvolvimento sustentável, onde o ambiente, a segurança e a responsabilidade social, são o pilar fundamental do desenvolvimento económico e da criação de riqueza.

Conseguimos desenvolver o conceito conducente à instalação de unidades industriais ecologicamente equilibradas, com baixos consumos de matérias-primas, energia e água, fatores de produção relevantes no processo produtivo.

 

  1. Quais os fatores determinantes para o sucesso da V/ cooperação?

O conhecimento mútuo, construído através de uma entidade cimentada ao longo de décadas, e que permite expressar complementaridade existente entre as valências de cada um.

O sucesso da cooperação assenta, assim, em décadas de relação em ambiente industrial, na complementaridade e na vontade de construir.

 

  1. O que vos levou a apostar na indústria da biomassa?

A aposta na indústria dos pellets a partir da BFR (biomassa florestal) surgiu por se tratar de uma energia renovável, e pela tendência na última década por esta cultura empresarial/industrial.

Neste sentido, decidimos planear uma unidade industrial localizada no interior do país, e desta forma contribuir para acrescentar valor em Proença-a-Nova, onde o desenvolvimento é necessário, onde existe matérias-primas, e onde será também, imperioso, investigar a tendência para a indústria florestal.

Esperamos com esta indústria produzir uma energia renovável ecologicamente equilibrada, e contribuir para dar ao centro do país uma maior visibilidade, de que tanto necessita.

 

  1. Os pellets permitiram criar uma nova geração de combustível de biomassa. Quais os próximos desafios do setor?

Os próximos desafios passarão pela otimização do processo produtivo com a redução de consumos, e a majoração do uso de BFR como matéria-prima, sem pôr em causa a qualidade do produto final.

Estamos naturalmente atentos a todas as oportunidades de negócio que possam surgir.

 

Eng.º Silva Gomes e o Eng.º Reis Camelo

Delitimbers