No âmbito do programa Recuperar Portugal, a digitalização das empresas é uma das grandes preocupações. A componente  Empresas 4.0 visa concretamente recuperar o atraso relativo ao processo de transição digital. Esperam-se efeitos como:

  1. A modernização do trabalho e dos processos de produção;
  2. A desmaterialização dos fluxos de trabalho;
  3. A mitigação dos défices de competências na utilização das tecnologias digitais;
  4. Entre outras propostas de valor.

 

Os investimentos estão divididos em três vetores:

1. Capacitação Digital das Empresas €100M
2. Transição Digital das Empresas €450M
3. Catalisação da Transição Digital das Empresas €100M

 

  1. Capacitação Digital das Empresas (€ 100M)

Este apoio, que pretende atingir 800.000 formandos, prevê a criação de dois programas de formação interligados com o intuito de colmatar lacunas nas competências digitais dos trabalhadores (funcionários e empresários) e das empresas:

  • Academia Portugal Digital – Desenvolvimento de competências através de planos de ensino personalizados;
  • Emprego + Digital 2025 – Capacitação em tecnologias digitais, com formato de ensino presencial e misto.

 

  1. Transição Digital das Empresas (€ 450M)

Previsto para 530.000 empresas, este é o programa com maior dotação e, portanto, é o mais importante. Tem como base a construção de um ecossistema de negócios digitalmente avançado, com propensão para a transformação dos modelos de negócio das PME portuguesas e para a sua digitalização, de modo a aumentar a competitividade e resiliência.

Para o efeito, estão planeados 4 programas distintos:

  • Rede Nacional de Test Beds – Criação de infraestruturas para as empresas desenvolverem e testarem novos produtos e serviços;
  • Comércio Digital – Focado nas microempresas e PME do comércio que pretendam desmaterializar processos com clientes, fornecedores e logística;
    • Integra 3 projetos – “Aceleradoras de Comércio Digital”, “Bairros Comerciais Digitais” e “Internacionalização via E-commerce”. Este último projeto apresenta duas vertentes:
      • A internacionalização das PME através de um programa que visa aprofundar a promoção do comércio eletrónico para novas exportadoras;
      • O lançamento de um novo programa de apoio individualizado para a promoção digital orientado para a diversificação de mercados para empresas que já tenham experiência internacional consolidada.
  • Apoio a Modelos de Negócio para a Transição Digital –  Fomentar o desenvolvimento de competências organizacionais que vão ao encontro de um modelo de negócio digital;
  • Empreendedorismo – Apoio a startups, por norma em fase de seeding, e incubadoras com forte componente digital e verde, nomeadamente, através da atribuição de vouchers.
    • Integra 3 projetos: “Voucher para Startups – Novos Produtos Verdes e Digitais”, “Reforço da Estrutura nacional para o empreendedorismo” e “Vale para Incubadoras/ Aceleradoras”.

 

  1. Catalisação da Transição Digital das Empresas (€ 100M)

Reduzir o papel nos negócios e estimular o desenvolvimento de novos produtos e serviços tecnológicos são os objetivos deste programa, que está estruturado em 3 programas:

  • Digital Innovation Hubs – Os DIH são uma rede nacional de hubs, com foco na implementação de tecnologias baseadas em Inteligência Artificial, Computação de Alto Desempenho e Cibersegurança;
  • Desmaterialização da Faturação – Massificar a utilização da fatura eletrónica nas transações B2B e B2C;
  • Selos de Certificações de Cibersegurança, Privacidade, Usabilidade e Sustentabilidade – Investimento em quatro novas plataformas de certificação e laboratórios de avaliação técnica.

 

Está interessado em candidatar-se a algum destes apoios da componente Empresas 4.0?

Contacte os serviços especializados da HM Consultores e agende uma reunião que pode mudar o futuro da sua empresa!