A HM Consultores neste mês de novembro entrevistou um dos seus principais clientes, José Cândido, sócio da Solis, empresa especialista em higiene e limpeza.

 

A Solis tem mais de 40 anos de atividade e continua a ser um dos principais players do mercado. Quais os fatores que contribuíram para o vosso sucesso?

A Solis fez 50 anos de atividade no presente ano de 2020.

Consideramos que o sucesso se deve ao esforço contínuo de inovação e melhoria e à resiliência perante as dificuldades que nos vão surgindo a cada dia do ano.

 

Continuam a apostar na diversificação e diferenciação dos produtos e a investir constantemente na atividade. Quais os próximos projetos?

O projeto em curso, das novas instalações no Polo de Cacia, na Rua da Paz, é aquele em que estamos focados nos tempos mais próximos.

Pretendemos transferir toda a produção, equipamentos e pessoas, num curto espaço de tempo sem paragens, mantendo todos os compromissos que temos com os nossos clientes. Relativamente aos novos produtos, seguimos sempre na resposta aos requisitos dos clientes. Acreditamos que no futuro nos solicitarão produtos mais ecológicos e sustentáveis e é nessa direção que estamos a fazer desenvolvimentos. Já temos na nossa linha vários artigos certificados Ecolabel.

 

 O COVID 19 mudou o mundo como o conhecíamos e trouxe novas oportunidades e ameaças para as empresas. Qual o impacto que sentiram na atividade?

O impacto da COVID-19 foi para nós muito grande. Sendo a nossa atividade a produção de produtos de higiene e limpeza, tivemos, como seria de esperar, um aumento significativo de pedidos de compras. No entanto, a pandemia gerou um grave problema, a nível internacional, de abastecimento de matérias-primas, e que levou a dificuldades de produção e nos impediu de dar resposta a todas as solicitações. A acrescentar a este facto, sentimos um grande impacto ao nível do pessoal, dado que, com o fecho de escolas e creches,  muitos colaboradores tiveram de ficar em casa em apoio aos filhos.

 

O Portugal 2020 está a terminar mas está previsto um reforço dos apoios nos próximos anos. Na V/opinião qual deveria ser o foco dos apoios?

Para nós, é sempre bem-vindo o apoio a novas máquinas e infraestruturas.